12/02/08

Domingo à Tarde!...





 Longe vão os tempos em que no Domingo à tarde se ia dançar ali para o Bairro da Boavista na Textang, Ferrovia, Terra-Nova, Casa do Minho ou no Transmontano e dançar ao som do Nelson Ned. Depois, pegar na toalha e ir desfrutar das águas cálidas do Atlântico, na praia da Floresta, na de S. Jorge, no Restinga, na Tamar, na Praia do Sol, até o sol se afundar no mar e ouvir o silvo como se ele fosse esfriando para esse mesmo sol se transformar em Lua.

 Longe vão os tempos que nos Domingos à tarde se ia beber umas Cucas ou umas Nocais acompanhando uma boa lagosta ou umas gambas de estalo, à Biker, ao Amazonas ou uma dobradinha ali no Bar Cravo e ser considerado um dos MacGregors.

 Longe vão os tempos em que no Domingo à tarde se ia a uma Matiné dançante no Tropical, ou ver o “Cazumbi” programa de variedades e de entretenimento no Miramar.

 Longe vão os tempos em que ir ao cinema era como ir ao Teatro Avenida onde, a uma pausa de um concerto de um pianista, o povo se levantava e logo se sentava pois aquilo era só uma pausa, um descansar de mãos momentâneo.

 Ir ao cinema era ver as garinas, dar um assobio e elas ruborescerem. Era ver o "El Cid - o campeador", Sansão e Dalila, Trinitá- cowboy insolente, filmes onde as pistolas tinham balas que nunca mais acabavam.

 Ir ao cinema era; mirar a Marginal, o mar, as barrocas e sonhar por um país que afinal nunca o chegou a ser.

 Domingo à tarde era uma ida ao Cacuaco, a Viana ou um passeio até à Ilha.

 Domingo à tarde era dia de jogo nos Coqueiros.

 Domingo à tarde era altura de passear com a namorada, da mão marota, do descobrir novas emoções.

 Agora no Domingo à tarde Josefina, estendida na esteira, vai olhando para a porta da palhota ouvindo “esdomingo_ditarde”.

 Até este Domingo já não é o que era!...

6 comentários:

Anónimo disse...

É verdade verdadinha tudo o que frisas neste artigo.

Que saudades de Luanda eu tenho apesar de não ser natural de lá pois estive lá só 2 anos mas que bem empregues!!!!!!

Por momentos fechei os olhos e fui até os locais que indicaste!!!! Que maravilha!!!! Tive a sensação de ter recuado 30 e tal anos e estar lá.

Armindo Ferreira

luis carlos pinto disse...

Longe vão os tempos em que no Domingo à tarde se ia dançar ali para o Bairro da Boavista na Textang, Ferrovia, Terra-Nova, Casa do Minho ou no Transmontano e dançar ao som do Nelson Ned. Depois, pegar na toalha e ir desfrutar das águas cálidas do Atlântico, na praia da Floresta, na de S. Jorge, no Restinga, na Tamar, na Praia do Sol, até o sol se afundar no mar e ouvir o silvo como se ele fosse esfriando para esse mesmo sol se transformar em Lua.

Meu caro amigo, ao ler este excerto, quase que me atreveria a dizer que andamos sempre juntos.

parabéns pelo teu brilhante trabalho.

um abração

luis carlos pinto

Anónimo disse...

Ai este homem me fez agora?
Despertar os meus sentidos praia do sol, ilha. bailarico S.paulo, terra-nova, etc. cinemas.Ai rapaz de certeza já te abracei sem saber.Que vida, que mundo, e as nocais geladinhas, com camarãozinho. E hoje em que ficamos? Lembranças.
Mas lindas.

Lameking

Anónimo disse...

Boa tarde Marius.
Uma amiga me falou de ti e do teu mano e me disse que encontraria aqui matéria da boa, não me enganou a menina.
Falou-me de vós, gente boa, disse ela, salvaram-me a vida...já deves estar a ver de quem falo.
Um abraço e não te esqueças do Portugália.
José Lessa

Manuel F. Amaral disse...

Adorei passar por aqui.Já tinha visto algumas destas coisas boas noutros Blogs.Mas o mais que aqui vi,adorei.Um abraço muito grato por me mostrarem mais.
Manuel Amaral.Não posso der anónimo

relogio.de.corda disse...

LOL. A música é gira (quem canta a verdade não merece castigo). Já não há Josefinas nem tardes como as de antigamente mas ainda permanecem por aí alguns (pouco) cavalheiros como outrora.